Skip to content

É o comportamento do Homem Brasileiro que destrói nossa reputação – e não da mulher.

Um agradecimento singelo aos “trigger warnings” (ou avisos de gatilho) sobre o vídeo em que pelo menos seis torcedores brasileiros cercam uma mulher russa, pulando enquanto entoam “buceta rosa”, constrangendo-a a falar algo que não faz a menor ideia do significado. Graças a estes avisos, fui poupada de ver este vídeo todas as inúmeras vezes em que me apareceu nos feeds das redes sociais, e só pude vê-lo, de fato, quando quis me certificar do que era capaz o homem-médio-brasileiro quando está na gringa. Os endinheirados playboys tupiniquins não deixam a má-educação e o machismo em casa nem quando viajam, pelo contrário: eles ostentam no peito sua medalhinha de Misógino Honorário, e a vergonha a que se prestam, quanto mais pública e viral, mais satisfatória. Então, chegou a hora de assumirmos um crônico problema que afeta a TODAS nós: é o comportamento do homem brasileiro que destrói nossa reputação, e não da mulher brasileira, como muitos gostam de falar por aí.

Qualquer mulher brasileira que já tenha viajado para algum país estrangeiro (ou que tenha convivido com estrangeiros no Brasil) já ouviu as frases mais lamentáveis e estereotipadas, constantemente vinda dos conterrâneos, que querem atestar o quanto nossa fama além-mar é péssima, e isso graças a nosso próprio comportamento. Diz-se que a brasileira é “fácil, é sexualizada, não nega nenhuma investida e que ‘faz de tudo’ que se possa imaginar”, numa clara representação machista e misógina do nosso caráter atrelado à nacionalidade. Como se toda brasileira que viajasse por aí carregasse a importante tarefa de zelar pela imagem da Bela, Recatada e do Lar, porque “as que foram antes” só fizeram desonrar nosso nome. E como é de praxe de toda e qualquer culpabilização feminina (e diga-se em bom tom, em qualquer sociedade), a má-reputação das mulheres está intrinsecamente associada à sexualidade. Para quem dá, quando dá, onde dá, e se dá ou não dá, todos estes requisitos são essenciais para caracterizar a reputação da mulher de um povo. Mas, já nos perguntamos qual é a reputação que o homem brasileiro imprime no mundo quando sai por aí distribuindo seu comportamento machista como se fosse um troféu a ser compartilhado?

Analisemos: os brasileiros são campeões na arte desagradável de pedir e mandar nudes, e de forçar a barra mesmo quando a mulher não está a fim de seguir na conversa. Você acredita que está num papo normal com um ser humano civilizado, quando de repente, uau, dick-pick!, e ele com certeza acredita que a melhor forma de conquistar você é mostrando as “incríveis” partes íntimas dele, mesmo sem você ter solicitado.

As investidas incessantes também são característica dos brasileiros, o ouvido parece se fechar para a palavra “não”. A blogueira Kami León fez um desabafo no texto Are Brazilian Men Incapable of Love, onde relata que o processo de dança da sua escola, além de mandar fotos nuas indesejadas, foi incapaz de deixa-la em paz mesmo depois das constantes negativas dela. Mesmo diante da própria namorada, o cara não ousou em agarrar a aluna, o que a deixou com uma péssima imagem dos homens brasileiros.

Shame on you, guys!

E por último, mas não menos importante, a agressividade brutal com que os brasileiros encaram uma “conquista” é de deixa qualquer nativo de qualquer tribo horrorizado. Sim, porque o pior não são as tentativas incansáveis após o seu primeiro “não”; o pior mesmo é quando ele aceita o “não” e passa a te ofender com toda sorte e azar de xingamentos, que muitas gringas não tem o desprazer de conhece-los na língua portuguesa. Se tem um ser humano bem inapto a lidar com as críticas, é o brasileiro médio no momento da conquista. Os ofende tanto o fato dos seus avanços não serem bem quistos pelas mulheres que miram, que constantemente eles as ofendem e agridem sem medir a noção de sua força. Está com dúvida? Leia aqui.

Logo, o que ocorreu com a jovem russa no deplorável vídeo que está circulando na internet, e que muito provavelmente está ocorrendo com diversas mulheres nesta copa do mundo, é um reflexo vergonhoso do comportamento de homens que acreditam que a invencibilidade de seu machismo é internacional, e se dão o direito de serem agressivos e indelicados em qualquer lugar do mundo. A Rússia, infelizmente, é um país que não acata muito bem as demandas femininas quando o assunto é agressão e assédio, então talvez, os machistas brazucas estejam no paraíso para cometerem seus deslizes. Mas que não passe despercebido que este tipo de comportamento nos mancha muito mais do que o da brasileira-sexual-exportação (e convenhamos, essa fama distorcida se dá muito mais pela mídia distorcida da nossa cultura, pautada e cravada num passado escravagista não muito longínquo).

Os homens brasileiros que viajam por aí, segue o meu apelo: comportar-se como gente é um ponto positivíssimo para todos nós, então, por favor, segurem sua fera interior, não destruam sua reputação ferindo a integridade de mulheres e homens de outros países em nome do machismo cultural que vocês carregam para onde vão. Como diriam para nós em tempos passados, acho que chegou a hora de vocês “se darem o respeito”.

 

Comentários

Be First to Comment

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *